O Brasil é famoso pelo seu complexo regimento de tributações e pelas altas taxas. Ainda, após as instabilidades enfrentadas em razão da pandemia de Covid-19, que levou ao nível recorde de 33,9%, PIB, conforme mensurado ao final de 2021.

No setor de tecnologia, o cenário pode ser ainda mais complicado. Isso porque o ramo está em constante desenvolvimento e sempre inovando. Quem empreende aqui, percorre trilhas ainda não pavimentadas pela legislação, e o risco de incongruências fiscais pode ser um fantasma à espreita. 

E não para por aí:  cada região, estado ou município enfrenta seus próprios desafios fiscais: mudam as regras, alíquotas, leis e regimentos. Para obter lucratividade nesse setor, o empreendedor deve entender com clareza como funciona a tributação para empresas de tecnologia, para maximizar os lucros do negócio.

É disso que iremos falar nesse conteúdo. Fique de olho para entender como lidar melhor com impostos no seu segmento.

Tenha uma boa leitura!

Quais impostos minha empresa de tecnologia precisa pagar?

Para poder exercer suas atividades de mercado de forma plena, atingir o melhor desempenho possível e ter uma imagem de credibilidade junto ao mercado, ter seu empreendimento regulamentado e em dia com a Receita é indispensável.

Quando falamos em investidores ou em clientes que prezam pela confiabilidade de um negócio, a regularidade do negócio é o principal cartão de visita.

Entretanto, sabemos que a complexidade do regime tributário no Brasil pode complicar bastante a vida de quem quer empreender no país. Contar com o suporte de uma contabilidade especializada no segmento de sua empresa é sempre uma decisão assertiva.

Esse o profissional com gabarito para criar um planejamento tributário para seu negócio que não deixa brechas para equívocos.

No ramo de tecnologia, além da carga tributária do mercado convencional, o empresário ainda pode ter que lidar com alguns impostos específicos. Nesse sentido, criamos uma lista sobre os tributos que podem recair sobre seu empreendimento.

Confira a seguir um pouco mais a respeito da tributação para empresas de tecnologia!

Leia mais: Planejamento Tributário: como organizar a sua empresa em 2023

Como funciona a tributação sobre produtos e serviços tecnológicos?

No âmbito da tecnologia, as atividades empresariais podem ser desempenhadas tanto no setor de comércio como também na prestação de serviços, demonstrando assim a amplitude deste segmento.

Dessa forma, mediante as diferentes vertentes de atuação a tributação para empresa de tecnologia não incidem de forma homogênea, apresentando diferentes tabelas de alíquotas para a comercialização de produtos ou serviços. 

Mas afinal o que isso significa? Quando falamos em tecnologia, o seu conceito é extremamente amplo. Fato este que abrange computadores, sistemas, eletrodomésticos, automóveis, dentre outros.

Assim, nada mais justo que cada tipo de atividade tenha uma carga tributária sendo cobrada de forma diferente. Mediante a isso, quando uma empresa atua com a prestação de serviços ou com soluções de tecnologia da informação, existe a possibilidade delas serem taxadas de formas distintas.

A seguir iremos compartilhar com o leitor quais são os tributos inerentes a sua atividade.

Principais tributos comuns inerentes à atividade

Compreenda agora quais são os tributos básicos que podem ser aplicados em uma empresa de tecnologia optante pelo lucro real ou lucro presumido:

  • Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ): calculado em 15% sobre o lucro, independentemente do regime tributário adotado;
  • Programa de Integração Social (PIS): taxa que pode chegar a 1,65%, o PIS é um dos impostos responsáveis pela garantia da seguridade social e seguro-desemprego para trabalhadores brasileiros;
  • Contribuição para o Financiamento Social (Cofins):  de natureza social e em esfera nacional, este imposto contribui para a sustentação de uma série de políticas públicas. Pode chegar a 7,6%, dependendo do regime adotado;
  • Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL): tributo de competência da União que incide sobre todas as pessoas jurídicas, calculado com alíquota fixa de 9%.

Há ainda a possibilidade de opção pelo simples nacional, que, em muitos casos é o melhor regime tributário, onde a alíquota incidente sobre o faturamento parte de 6%.

Impostos e tributações específicas: quando se atentar?

Vale lembrar que alguns segmentos podem sofrer tributações específicas de suas atividades. É o caso das empresas que trabalham com importações ou exportações, que desenvolvem propriedades intelectuais.

Dessa forma, estar por dentro de como funciona a tributação para empresas de tecnologia traz vantagens na hora da escolha de um regime tributário mais econômico para seu negócio.

 

Sobre a Contdias

Criada há mais de 40 anos, a Contdias tem como objetivo assessorar os clientes em todas as áreas de seu negócio. Para tanto, a empresa atende segmentos específicos de mercado, além de negócios de diferentes tamanhos. Uma das características da Contdias é seu atendimento com excelência de contabilidade para empresas de tecnologia.

Entre em contato já, podemos ajudar você!

Agende uma consultoria e descubra o caminho mais seguro, econômico e rápido para o que você precisa no momento. ligue (31) 3271-5531 ou chame a gente no clicando aqui.

Gostou deste artigo? Quer mais conteúdo para manter-se informado sobre o mundo financeiro? Então, siga-nos no Facebook, Instagram, Linkedin e Twitter e acompanhe todos os nossos posts!

× WhatsApp