Deseja entender a importância de otimizar a gestão financeira? Então tenha em mente que uma boa gestão de finanças determina qual é o estado que a empresa se encontra do ponto de vista monetário.

A falta de uma boa gestão financeira pode levar a problemas como falta de recursos para as atividades da empresa, dificuldades para obter financiamentos e investimentos, além de problemas com transparência e conformidade com leis e regulamentos.

Na prática, a gestão financeira permite o diagnóstico da situação atual do negócio e aponta caminhos para que os processos sejam melhorados. Logo, ela costuma aparecer com bons resultados no médio e longo prazo.

É sobre isso que trataremos neste conteúdo. Continue a leitura e saiba mais sobre como otimizar a gestão de recursos financeiros no seu negócio.

Como funciona a gestão financeira

É possível entender a gestão financeira como um processo que se divide em 3 partes:

  • acompanhamento;
  • classificação;
  • avaliação ou reavaliação.

O importante é que cada uma dessas etapas comecem a fazer parte da rotina da empresa. Consequentemente será possível fazer o diagnóstico das finanças do negócio, corrigir problemas e investir em oportunidades.

Dependendo de fatores como o porte do negócio, sua atividade e modelo que segue, a estrutura do setor financeiro pode ser diferente.

Entretanto, de maneira geral, além de lidar com impostos, despesas trabalhistas, entre outros, a organização precisa direcionar o empreendimento para uma trajetória mais saudável do ponto de vista financeiro.

O passo a passo para uma gestão financeira eficaz

Saiba otimizar a gestão financeira seguindo processos validados.

Identifique a situação atual

Isso pode ser feito a partir de procedimentos técnicos. Entre outros, os principais são:

  • balanço patrimonial;
  • levantamento dos ativos circulantes;
  • observação dos saldos devedores e demais valores gastos.

Isso permite que a organização tenha parâmetros para começar uma análise mais aprofundada. Também é interessante considerar questões como:

  • o tempo de mercado da empresa;
  • pontos positivos e negativos no negócio;
  • soluções que o produto ou serviço oferecem;
  • perfil do público-alvo;
  • ações da concorrência;
  • entre outros.

Pense no que pode ser melhorado

O ideal é saber o que esperar da empresa para lidar com a questão financeira de maneira criteriosa. Observando cada um dos elementos citados no tópico anterior e o que se espera em relação a eles, a empresa já tem como estimar melhorias.

Assim, se houver um gasto excessivo vindo de determinado setor, o mais importante é a empresa ter como lidar com ele. Neste momento, o importante é ter mapeados os processos para atuar de maneira pontual. Dessa forma é possível não prejudicar os demais segmentos do negócio que andam bem.

Desenvolva metas financeiras

Metas financeiras devem ser criadas em função do tempo e da dificuldade para serem alcançadas. Elas podem ser:

  • um novo investimento;
  • a criação de uma nova solução de mercado;
  • a substituição de um ativo;
  • entre outros.

Metas financeiras precisam ser construídas com critérios. É preciso definir não só o que a empresa precisa alcançar, mas também o tempo necessário para tanto e as etapas para atingir o objetivo. E isso geralmente considera 3 momentos, no caso, o curto, o médio e o longo prazo.

Dessa forma, mesmo objetivos mais complexos podem ser atingidos, desde que entrem no seu trabalho do dia a dia.

Crie e implemente um plano de ação financeira

Uma vez definidas as metas, a empresa tem como estabelecer qual será seu plano de ação. Em outras palavras, é a descrição de como elas vão atingir seus objetivos. Sendo assim, o ideal é construir uma lista. Nela, devem constar:

  • as ações que precisam ser executadas;
  • os prazos para cada ação;
  • as responsabilidades;
  • as provisões de custos.

Dessa forma será mais fácil controlar o trabalho, especialmente considerando o longo prazo.

Boas práticas para otimizar a gestão financeira

Para otimizar a gestão financeira da sua empresa, existem algumas boas práticas que podem ser seguidas:

Avaliar e qualificar a equipe

Considere as habilidades e competências dos colaboradores em função das demandas apresentadas nos tópicos anteriores. É possível alinhar isso com programadas de treinamento dos mais diversos tipos.

Formações mais completas devem ser valorizadas, bem como os processos de seleção precisam considerar a gestão financeira otimizada.

Adotar ferramentas tecnológicas

Indo além de papéis e planilhas, soluções mais robustas podem ser a aliada determinante para otimizar a gestão financeira empresarial. Isso gera agilidade e confiabilidade.

Um exemplo é o software de controle financeiro. Com ele é possível controlar a entrada e saída de recursos, as emissões de notas fiscais, fazer a conciliação bancária, entre outros. Isso sem falar na possibilidade de integração com o setor comercial, facilitando o trabalho com dados e relatórios.

Fazer análises periódicas

De tempos em tempos é preciso avaliar se está tudo em ordem. Para tanto, a empresa deve definir quando as análises serão realizadas.

Isso pode ser feito anualmente, semestralmente, trimestralmente ou até mensalmente, dependendo das soluções com as quais a empresa conta para fazer esse trabalho.

Nesse sentido, a tecnologia ajuda, pois, existem sistemas capazes de realizar esse acompanhamento em períodos cada vez menores.

De qualquer forma, para otimizar a gestão financeira, o importante é observar:

  • se existe uma relação segura entre o que a empresa fatura e o que gasta;
  • quais são os custos operacionais e se são compatíveis com os processos;
  • se a tributação está em dia e correta;
  • entre outros fatores.

Indo um pouco mais adiante, é útil comparar as finanças da empresa com o mercado, seu posicionamento e resultados.

Conciliar as datas de entrada e saída de capital

Fazendo com que o pagamento dos fornecedores aconteça sempre após a empresa receber o que deve dos clientes, ela cria um cenário ideal para evitar problemas.

Quando o que acontece é o oposto, ou seja, quando ela recebe sempre após arcar com os custos, a tendência é que ela tenha que usar o caixa do período anterior para evitar atrasos. E isso nem sempre dá certo.

Reservar parte do lucro para investimentos

Por fim, é preciso pensar no futuro. Procure analisar o mercado e fazer projeções, mesmo usando poucos recursos. De qualquer forma, o mais importante, do ponto de vista financeiro, é reservar uma quantia, por mais que seja pequena, para o crescimento da empresa.

Considere o longo prazo para fazer investimentos sob juros compostos com esses recursos. Dessa forma, cada centavo a mais que a organização lucra, pode representar um montante imprescindível para o sucesso dela no futuro.

Vencendo a crise da COVID-19 a cada dia junto com as empresas

O período da pandemia tem propiciado o fortalecimento de parcerias. Também tem sido uma boa oportunidade para inovar e fazer melhor.

Para nós, da Contdias, é gratificante poder ajudar empresas e parceiros nesse momento desafiador. Nosso muito obrigado pela confiança e parceria.

Podem contar conosco, pois sabemos que a jornada ainda não acabou.

Sobre a Contdias

Criada há mais de 40 anos, a Contdias tem como objetivo assessorar os clientes em todas as áreas de seu negócio. Para tanto, a empresa atende segmentos específicos de mercado, além de negócios de diferentes tamanhos. Uma das características da Contdias é seu atendimento com excelência de contabilidade para empresas de tecnologia.

Entre em contato já, podemos ajudar você!

Agende uma consultoria e descubra o caminho mais seguro, econômico e rápido para o que você precisa no momento. ligue (031) 3271-5531 ou chame a gente no WhatsApp clicando aqui.

Gostou deste artigo? Quer mais conteúdo para manter-se informado sobre o mundo financeiro? Então, siga-nos no Facebook, Instagram, Linkedin e Twitter e acompanhe todos os nossos posts!

× WhatsApp